segunda-feira, 15 de setembro de 2008

A fábula da estrela verde

Havia milhares de estrelas no céu. Estrelas de todas as cores :
brancas, prateada, verdes, douradas, vermelhas e azuis
- um dia elas procuraram Deus e lhe disseram:
- senhor, gostaríamos de viver na terra entre os homens;
- assim será feito, respondeu o senhor, conservarei todas vocês pequeninas como são vistas e podem descer para a terra.
Conta-se que, naquela noite, houve uma linda Chuva de estrelas.
Algumas se aninharam nas torres das igrejas, outras foram brincar de correr com os vaga-lumes nos campos; outras se misturaram aos brinquedos das crianças e a terra ficou maravilhosamente iluminada.
Porém, passando o tempo, as estrelas resolveram abandonar os homens e voltar para o céu, deixando a terra escura e triste.
- porque voltaram? Perguntou Deus, a medida que elas chegavam ao céu.
- Senhor, não nos foi possível permanecer na Terra, Lá existe muita miséria e violência, muita maldade, muita injustiça.
E o senhor disse:
- Claro ! O lugar de vocês é aqui no céu.
A Terra é o lugar do transitório, daquilo que passa, daquele que cai, daquele que erra, daquele que morre, nada é perfeito.
O céu é lugar da perfeição, do imutável, do eterno, onde nada perece.
Depois que chegaram todas as estrelas e conferindo o seu número, deus falou de novo:
- mas está faltando uma estrela, Perdeu-se no caminho?
Um anjo que estava perto retrucou:
- não senhor, uma estrela resolveu ficar entre os homens.
Ela descobriu que seu lugar é exatamente onde existe a imperfeição, onde há limite, aonde as coisa não vão bem, onde há luta e dor.
- mas que estrela é essa? Voltou Deus a perguntar.
- é a esperança, senhor, A estrela verde, A única estrela dessa cor.
E quando olharam para a terra, a estrela não estava só.
A terra estava novamente iluminada porque havia uma estrela verde no coração de cada pessoa.
Deus já conhece o futuro, e a Esperança é própria da pessoa humana, própria daquele que erra, daquele que não é perfeito, daquele que não sabe como será o futuro.
Receba neste momento esta “estrelinha” em seu coração, sua estrela verde.
Não deixe que Lea fuja e nem se apague.
Tenha certeza que ela iluminará o seu caminho. Seja sempre otimista.
Autor desconhecido

2 comentários:

MJFortuna disse...

Esta parábola é de Antonio Roberto Soares, deputado federal que mora em Belo Horizonte, natural de Montes Claros.

Cátia Ellwanger disse...

*-*